Governo amplia Minha Casa Minha Vida
Publicado em 27/04/2017
 
A partir de agora, poderão aderir ao programa habitacional do governo federal famílias com renda mensal de até R$ 9 mil.
Antes dessa mudança, o limite de renda para uma família ter direito a participar do MCVM era de R$ 6,5 mil por mês (faixa 3).
O anúncio foi feito pelo ministro das Cidades, Bruno Araújo, durante cerimônia no Palácio do Planalto comandada pelo presidente Michel Temer. Araújo disse que, com a ampliação da faixa de renda, o programa poderá beneficiar mais famílias.
Além da ampliação, o governo também anunciou o reajuste do valor da renda máxima para outras faixas do programa.

Novas faixas de renda para financiamentos do MCMV:
  • Faixa 1: para famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil (não houve alteração);
  • Faixa 1,5: limite de renda mensal passa de R$ 2.350 para R$ 2,6 mil;
  • Faixa 2: limite de renda mensal passa de R$ 3,6 mil para R$ 4 mil;
  • Faixa 3: limite de renda mensal passa de R$ 6,5 mil para R$ 9 mil.
As famílias que se enquadram nas faixas 1,5 e 2 têm direito a subsídio do governo para a compra do imóvel, além de financiamento com taxa de juros abaixo da praticada no mercado. Já a faixa 3 prevê o financiamento com recursos do FGTS com taxas abaixo do mercado.
De acordo com o Ministério das Cidades, o valor do subsídio dado na faixa 1,5 vai subir de R$ 45 mil para R$ 47.500 e, na faixa 2, de R$ 27.500 para R$ 29 mil.
O governo também elevou o teto do valor dos imóveis que podem ser financiados dentro do Minha Casa, Minha Vida. No Distrito Federal, São Paulo e Rio de Janeiro, o valor passará de R$ 225 mil para R$ 240 mil, aqui no Espírito Santo passa a ser R$190.000,00. O Ministério das Cidades anunciou que tem como meta contratar 610 mil novas unidades habitacionais em todas as modalidades do MCMV em 2017.

 
Voltar